Depois do livro, “A assassina da Roda” estreia no Teatro Trindade, em Lisboa, a 29 de abril

0
443

Depois do livro, inevitavelmente, surge a peça que relata “o mais horrendo dos crimes” ocorrido em Portugal e, em Penacova, perpetrado por uma mulher desequilibrada, que residiu até 1772 em Figueira de Lorvão, ano em que foi julgada e condenada à morte por enforcamento, pela autoria de 33 infanticídios.

Baseado num romance escrito por Rute de Carvalho Serra, surge agora em cena no Teatro da Trindade (Lisboa)

Com encenação e interpretação de Maria Henrique, interpretação musical de Hugo Aristides a peça tem a co-produção Teatro da Trindade INATEL em Lisboa, e estará em exibição de 29 de abril a 30 de maio.

Luíza de Jesus é aqui apresentada pelas palavras de Rute de Carvalho Serra, como a última mulher executada em Portugal.

Publicidade

Nasceu em Figueira do Lorvão (Penacova) moraria em Gavinhos, mas os crimes por que foi condenada foram praticados em Coimbra. A história conta que Luíza de Jesus foi condenada, em 1772, à pena de morte por enforcamento pelo assassinato de 33 crianças expostas na roda da Misericórdia de Coimbra. A mulher confessou que matou 28, mas foram encontrados 33 corpos dos 34 desaparecidos.

O livro, publicado pela Guerra e Paz editora, teve apresentação em Penacova no passado dia 7 de março de 2020, numa sessão que contou com a presença da autora e com participação do professor David de Almeida e do vice-presidente do município, João Azadinho, e na qual o Grupo de Teatro Partículas Soltas fez uma magnífica reconstituição.

Sobre a autora

Rute Alexandra de Carvalho Frazão Serra, Licenciada em Direito, Pós-Graduada em Gestão Pública, Mestre em Direito – Ciências Jurídico-Políticas (tese de mestrado publicada na Revista Jurídica digital “Data Venia”). Exerce atualmente funções de auditoria pública externa, junto do Tribunal de Contas de Portugal.

Ao longo de dezoito anos de atividade profissional na Administração Pública, foi técnica superior na extinta Direção-Geral de Viação, e exerceu funções dirigentes, durante oito anos, na Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (chefe de divisão do Gabinete de Inspeção e Assuntos Internos, Inspetora-Chefe da Delegação de Santarém e Inspetora-Diretora da Unidade Regional do Norte).

Docente convidada em cursos de Pós-Graduação e Mestrado, na área da Investigação Criminal e Criminologia. Formadora nas áreas do direito penal, processual penal e contraordenacional, em diversos cursos de acesso à carreira inspetiva. Foi preletora em inúmeras sessões de esclarecimento dirigidas a operadores económicos. Representou externamente a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, na República Popular da China. Membro do Observatório de Economia e Gestão de Fraude.

Colabora regularmente com diversos órgãos de comunicação social, em especial sobre matérias do domínio da fraude.

 

 

Pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui