Entrevista: Atividade física, com moderação e aliada a bons hábitos alimentares

Rita Marques Fernandes, Licenciada em Motricidade Humana – área de Especialização em Cognição e Motricidade, disponibilizou-se para uma conversa técnica, didática e testemunhal neste Dia Mundial da Atividade Física.

Exerce funções de Técnica Superior de Desporto no Município de Penacova, onde presta serviços nas áreas de Natação para Bebés, Adaptação ao Meio Aquático, Hidroginástica Sénior, Gerontomotricidade, Espaço Cardio Fitness e Centro de Trail e BTT.

A sua paixão pelo Desporto e pela natureza fez com que faça parte da equipa de Trail OS PÉ NA COVA constituída por atletas de diferentes faixas etárias e que realizam treinos semanais aos domingos pela manhã. De acordo com a disponibilidade dos atletas, temos participados em algumas provas a nível nacional.

Atividade física, com moderação e aliada a bons hábitos alimentares

A importância da atividade física e as condições naturais e estruturais que Penacova oferece…

Da experiência profissional até agora adquirida, considera que Penacova é um concelho com cada vez mais adeptos dos Desportos de natureza, dos quais fazem parte as caminhadas, os passeios de bicicleta e a corrida. Ainda assim, considera que alguns desvalorizam os benefícios da atividade física, por, por exemplo, considerarem que o ginásio é um local para carregar pesos e onde só vão aqueles que fazem musculação, descartando assim a possibilidade de utilizarem o espaço para realizar exercícios de reforço muscular em determinadas patologias. Muitas vezes, em conversa com as pessoas, refere isso mesmo. O Ginásio ou a atividade física não é apenas para as pessoas ficarem “com músculo”. As pessoas vão, fazem o seu treino, nem que seja uma simples corrida na passadeira, conversam, distraem e, no final, experimentam aquela sensação de liberdade, leveza e descompressão no final de um dia de trabalho, por exemplo. A atividade Física é fundamental para a manutenção das capacidades físicas e mentais.

Persistir na atividade física, para cuidar da saúde manter a autonomia

É cada vez mais importante que as pessoas encarem o Desporto não apenas no sentido de competição, mas sim como uma forma de manterem as suas capacidades. Um dia mais tarde será fundamental terem um bom controlo postural, manter a coordenação motora, o equilíbrio, para que assim continuem a realizar as atividades da vida diária da forma mais autónoma possível.

Muitos dizem que “o que custa é sair de casa, depois de sair de casa vamos e fazemos”. E é isso mesmo. Considera que muitos necessitam de um incentivo, uma companhia. Mas não desistam! Vamos lá fazer alguma coisa! Vamos mexer-nos! O importante é não ficarmos parados! Não consegue correr rápido, corre devagar. Não faz o exercício no seu padrão normal, não importa, existem inúmeras adaptações para que o exercício seja executado, sem que a pessoa desista de o realizar.

A cultura da atividade física como bem essencial: a tempo inteiro e de modo adaptado

Todos sabemos que o verão é o grande impulsionador da atividade física! Os ginásios enchem dois a três meses antes, mas a atividade física não pode ser realizada apenas 3 meses por ano. Nós precisamos de realizar movimentos todos os dias. Por isso, é fundamental que as pessoas parem e pensem que um dia poderão não conseguir realizar esses mesmos movimentos ou, pelo menos, da mesma forma.

Nem sempre é fácil convencer as pessoas a sair de casa para fazer exercício, principalmente de inverno. Uma simples caminhada, dez ou vinte minutos, não custa nada. É sair do sofá, é libertar o stress do dia a dia! É essencial que a população encare a atividade física não como obrigação, mas como um bem essencial para o seu bem-estar.

Atividade preventiva e acompanhada por técnicos/as competentes

Quantas são as pessoas que só começam a fazer alguma coisa quando o médico diz que tem que ser? Não vamos deixar que se chegue a este ponto de situação.

É fundamental que, caso as pessoas não se sintam à vontade para praticar atividade física sozinhas, procurem o aconselhamento de profissionais da área. Em caso de patologias é importantíssimo um trabalho multidisciplinar, entre técnico e equipa médica, para que não seja colocada em risco a saúde da pessoa. A atividade física é como as dietas: um plano funciona comigo, mas já não vai ter os mesmos efeitos no vizinho do lado. Ou seja, é importante que as pessoas percebam que os planos de treino são adequados individualmente e de acordo com as capacidades, patologias ou limitações de cada pessoa. A internet dá inúmeras respostas, exercícios para todos os gostos, mas temos de ter noção do nosso corpo e até onde podemos ir.

Mais que estética, saúde! E atividade desportiva somada a hábitos alimentares

Muitas vezes não se pensa na saúde e só se dá importância à parte estética. Muita atenção! Atividade física sim, mas com moderação e aliada a bons hábitos alimentares. Ingestão de líquidos é fundamental, não passar muitas horas sem comer, evitar os sumos gaseificados, os doces, no fundo aquilo que já sabemos todos de cor e salteado, mas que nem sempre é cumprido. Não tem tempo para fazer o lanche a meio da manhã? Uma peça de fruta! Tão simples. Vai levar tempo, as pessoas sofrem para atingir os seus objetivos, mas é mesmo assim! O importante é não ficar parado!

Atividade física: Um processo!

As pessoas não podem pensar que tudo acontece de um dia para o outro e também não se podem submeter a treinos intensos e, muitas vezes, diários, sem tempo adequado de recuperação, só por pensar que assim atingem os objetivos de uma forma mais rápida. Nada disso, pelo contrário, vão criar fadiga muscular e possíveis lesões. É fundamental que as pessoas compreendam que o treino exige recuperação.

A relação inter disciplinar e entre setores

O Desporto pode e deve estar associado ao setor da saúde. Neste momento, penso que já existe um trabalho nesse sentido. Os médicos já aconselham os seus utentes a frequentar as aulas de hidroginástica, até mesmo os centros de Fisioterapia têm encaminhado os seus utentes para as nossas aulas.

“Penacova tem condições ímpares para a atividade física ao ar livre”

Quanto a isto, eu não tenho nada a contrapor. Penacova tem, de facto, todas e mais algumas capacidades de promoção do Desporto ao ar livre. É importante que as pessoas se informem previamente dos percursos disponíveis na página oficial do Município de Penacova. Lá podem encontrar os Percursos Pedestres, Percursos de Trail e BTT, com as respetivas descrições, mapas e níveis de dificuldade. Para quem conhece é muito simples, vai, atalha, corre ou anda. Para quem não tiver conhecimento do terreno, é importante que faça esta consulta prévia para evitar aqueles comentários “eu fui mas não era bem para as minhas pernas” ou “fui mas estava interdito”. Informem-se antes, para evitar este tipo de situações. O Posto de Turismo disponibiliza, em formato de papel, os mapas dos percursos. E, não menos importante, deixem os trilhos como os encontraram! A página do Município disponibiliza também uma plataforma de sugestões/críticas/ocorrências, a que qualquer pessoa pode aceder e preencher.

Ao nível da promoção dos Trilhos e Percursos disponíveis, o Município tem realizado algumas atividades, atualmente suspensas devido à situação de Pandemia, nomeadamente caminhadas, e a equipa de Trail também realiza pontualmente atividades neste âmbito.

É fundamental que as pessoas participem quando estas atividades são propostas, dado que, sem a população nada disto é possível. Vivemos uma situação de pandemia que, até à data, não se tinha verificado. Fomos atirados literalmente para dentro de quatro paredes, impedidos de realizar a nossa vida diária de forma normal. Verifiquei um acréscimo bastante significativo e adesão às atividades ao ar livre e será importante que as pessoas não percam estes hábitos, que são uma mais valia para a manutenção das suas capacidades físicas e mentais!

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

NOTÍCIAS MAIS RECENTES

Penacovenses pelo país e pelo mundo: Teresa Martins | Guida –...

1
O meu nome é Teresa Martins ou, para a maioria dos meus conterrâneos, simplesmente Guida. Natural da Sé Nova, Coimbra, porém, foi por terras de...