José de Gouveia Leitão nasceu em Vale de Remígio, concelho de Mortágua, no dia 16 de Março de 1895. Filho de Artur Ubaldo Correia de Sousa Leitão, natural de Penacova, e de Maria Emília da Piedade Gouveia, natural de Vale de Remígio. Neto paterno de Alípio de Oliveira Sousa Leitão  e de  Maria Puresa Correia de Almeida e materno de José de Gouveia d’Almeida e Sousa e de Felismina do Patrocínio.

Casou em Penacova com Maria José de Sande Leitão a 12 de Setembro de 1923, filha de José Ubaldo Correia Leitão e de Maria Elisa Sande e Cunha. Deste casamento nasceu Maria Teresa de Sande Frias e Gouveia Leitão que viria, por sua vez, a casar com Alípio Ribeiro Barbosa Coimbra, e Armando de Sande Frias e Gouveia Leitão. 

De 1928 a 1936, José de Gouveia Leitão foi Presidente da Câmara, passando o testemunho  a Manuel Ferreira Sales Guedes.  Ao deixar a  Presidência da Câmara, assumiu o cargo de Administrador do concelho de Penacova.

O seu mandato ficou marcado pelas primeiras electrificações do concelho, não apenas na sede do concelho, mas também noutros lugares. O abastecimento de água e a instrução primária foram outras das suas prioridades, além de se preocupar com diversos  melhoramentos rurais. 

Publicidade

“Dominou-o o critério inteligente de dar água em condições higiénicas e saudáveis a todas as povoações do concelho.[…] Na mesma ordem de ideias, defendendo a saúde dos munícipes, calçou e regularizou as ruas de muitas povoações suprimindo as estrumeiras altamente perigosas. […] Se não descurou as povoações rurais também não descurou a sede: deve-lhe Penacova e algumas povoações próximas o estabelecimento da energia eléctrica” – salientou Alípio Barbosa aquando da passagem de testemunho de José Leitão a Sales Guedes.

O mesmo Alípio Barbosa, figura destacada na Penacova daquele tempo (e seu tio) afirmou publicamente: “Por muito que quis ao Pai e muito quero ao filho, sinto-me orgulhoso pela nossa terra e pela minha família que um digno filho do sempre saudoso Artur Leitão, honra e prestigia com nobres qualidades”, legitimando  os seus “honrosos brasões.”

Foi um dos fundadores do jornal Notícias de Penacova, sendo seu proprietário e primeiro director. Este jornal, que ainda coexistiu com o Jornal de Penacova, veio a lume em 26 de Março de 1932. Dirigiu este periódico local até 1936, acumulando com o cargo de Presidente da Comissão Administrativa, caso impensável nos dias de hoje, mas que procurou conciliar dentro do possível.

José (Frias) de Gouveia Leitão, faleceu no dia 26 de Setembro de 1950, com apenas 55 anos de idade. A esposa viria a falecer bastante mais tarde, em 7 de Fevereiro de 1992, na Estrela d’Alva.

David Gonçalves de Almeida

Pub

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui