Publicidade

Os municípios e as comunidades intermunicipais (CIM) vão receber 57 milhões de euros para compensar os custos com a pandemia, após aprovação das candidaturas feitas ao Fundo de Solidariedade da União Europeia (FSUE), anunciou hoje o Governo.

Segundo uma nota enviada pelo Ministério do Planeamento, em todo o território nacional, candidataram-se a esta ajuda 237 municípios a título individual e 32 integrados em sete CIM.

“Dos 63 milhões de despesas elegíveis apresentadas, o FSUE deverá cobrir 88% deste montante, absorvendo a totalidade dos 57 milhões atribuídos a Portugal por este fundo”, segundo a nota da tutela, referindo que as principais despesas apresentadas “visam a cobertura de custos de aquisição de equipamentos de proteção individual, como máscaras, luvas ou batas”, no âmbito da pandemia de covid-19.

De acordo com a mesma informação, segue-se a fase de contratação e de pagamentos, “após a assinatura do termo de aceitação dos apoios pelos municípios e pelas CIM”.

“Será processado um adiantamento no valor de 65% do apoio aprovado até ao máximo de 97,5 mil euros. O pagamento dos restantes 35% será feito após apresentação e verificação das despesas, de forma a garantir que todos os custos a financiar cumprem o regulamento do FSUE”, justifica a tutela.

Este concurso foi lançado na sequência da decisão do Governo de atribuir às câmaras municipais o apoio conseguido por Portugal, no âmbito do Fundo de Solidariedade da União Europeia (FSUE), “tendo em conta o papel fundamental e insubstituível das autarquias locais na resposta à emergência social e sanitária, na prevenção, proteção e apoio à população, e em especial aos grupos mais vulneráveis”, lê-se ainda na nota.

A covid-19 provocou pelo menos 5.020.845 mortes em todo o mundo, entre mais de 248,03 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.184 pessoas e foram contabilizados 1.094.048 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Publicidade

Artigo anteriorAntigos combatentes já podem pedir passe para ter transportes gratuitos
Próximo artigoApoie uma família no Natal Solidário da Cáritas Coimbra

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui