Publicidade

David Gonçalves de Almeida

Esta rubrica, que se iniciou a 15 de Maio e agora termina, teve como objectivo fazer uma recolha, o mais exaustiva possível, dos livros que o Município de Penacova publicou ao longo das últimas décadas. Domingo a domingo, o “Penacova Actual” foi trazendo ao conhecimento de alguns e à memória de outros um conjunto de vinte e nove títulos de obras editadas sobre a história e cultura do nosso concelho.

Publicidade

No domínio da história local evocámos obras importantes: a edição fac-similada dos Forais de Penacova, transcritos e comentados por Maria Alegria Fernandes Marques; o livro sobre o republicanismo em Penacova e o modo como o nosso concelho reagiu à mudança de regime em 1910, tendo como autor David Almeida; outros dois trabalhos de Maria Alegria Marques, sobre o Mosteiro de Lorvão, quer analisando a primeira fase da vida conventual (comunidade masculina), quer evocando o período que se lhe seguiu, iniciado por D. Teresa, filha de D. Sancho I; referir ainda o livro-catálogo da exposição que assinalou o centenário da eleição de António José de Almeida para a Presidência da República.

Na vida e obra de personalidades marcantes perpassa também muito da nossa história e cultura.  A Biografia de António José de Almeida, da autoria de Luís Reis Torgal, com ilustração de Alexandre Ramires, é uma das obras mais marcantes em que o Município se envolveu. Sobre aquele estadista, mas voltado para um público infanto-juvenil, regista-se um livro de Paula Silva, autora que, no mesmo estilo, publicou também “Teresa de Portugal”. Por sua vez, “Martins da Costa-Contos Vividos”, sobre o pintor (e também cronista) João Martins da Costa, é uma obra de referência no plano editorial do Município. Vitorino Nemésio fica também incluído neste capítulo com a publicação de uma brochura que reporta o Encontro Nemesiano que se realizou em Penacova em 1999. Num plano mais abrangente, na medida em que são vinte e quatro os nomes de pessoas que deixaram marcas em Penacova e constam da toponímia das três vilas do nosso concelho, David Almeida publicou “Quem foi quem na toponímia de Penacova”.

Num sentido lato de Cultura / Tradição, foram diversas as referências: ao livro de Fernando Simões Dias sobre um dos ex-libris de Penacova, a Barca Serrana; à “Doçaria Conventual de Lorvão”, obra de Nelson Correia Borges; à Lampreia, no contexto do rio Mondego e da biodiversidade concelhia, de Carlos Fonseca e Fernando Correia, e ao livro sobre o património imaterial que existe à volta do fabrico manual de Palitos, tendo como autora Paula Silva. Num plano mais generalista, mas também sobre o património histórico-cultural e natural do concelho de Penacova, foram recordados os dois livros de Leitão Couto e David Almeida, “Patrimónios de Penacova” e “De Coimbra a Lorvão pela Estrada Verde”; de Henrique Coutinho Gouveia, três obras, uma sobre os Moinhos de Vento, outra sobre os Fornos de Cal e ainda uma terceira sobre a Musealização de Sítios (Portela de Oliveira e Casal de Santo Amaro). A Molinologia foi também o tema tratado nos dois livros de Leitão Couto/Mafalda Pereira, um Glossário e um Roteiro concelhio. Num contexto mais alargado de memórias e vivências  sobre  locais, pessoas, instituições e tradições, ficou registado nesta rubrica o livro de Luís Pais Amante, que teve a colaboração de David Almeida e Óscar Trindade, “Penacova Intemporal”.

Não ficaria completa esta lista de temas se não tivéssemos referido outras obras: o estudo concelhio sobre o problema da demografia, de Filipa Castro Henriques e Paulo Cunha Dinis; a monografia sobre S. Paio de Mondego, elaborada por um grupo de formandos de um Curso de Adultos e, no domínio do romance histórico, “No Mosteiro do Vale do Silêncio”, de Sónia Marques, livro que nos transporta às longínquas vivências dos monges beneditinos em Lorvão.

As obras que não foram editadas pelo Município, mas que se reportam a temas importantes do nosso concelho, poderão dar corpo a mais um conjunto de artigos no Penacova Actual, porventura com o título “Outros livros sobre Penacova”. Estamos a recordar-nos: do excelente livro do fotógrafo Varela Pècurto “Penacova”; da Tese de Doutoramento de Nelson Correia Borges “Arte Monástica em Lorvão”, publicada pela Fundação Calouste Gulbenkian. De salientar também outros livros: de Carlos Proença de Figueiredo, “Notícias Históricas de Mondalva”; as três obras sobre a Fábrica de Cerâmica “Estrela d’Alva”, no seu cinquentenário (Ayres Falcão), no centenário (Paula Silva) e sobre o seu fundador;  a tese de licenciatura de Maria Adelina Nogueira Seco sobre a Navegação Comercial no Mondego. Não esquecer também: as obras sobre S. Pedro de Alva, de Alfredo Fonseca; “Memórias de Paradela da Cortiça”, de Lurdes Pereira Morgado; um pequeno apontamento monográfico sobre Agrelo;  livros de Jorge Figueiredo, em verso, sobre a aldeia do Caneiro e, sobre o Mondego, tendo como autor Ulisses Baptista, “Meu Rio de Prata” e “Regresso às Origens”.

De nomes consagrados da Literatura Portuguesa poderíamos também citar muitas referências ao nosso concelho, mas esse será tema de mais um futuro capítulo…

Publicidade

Artigo anteriorRegião de Coimbra apresentou Academia Gastronómica para reforçar distinção europeia
Próximo artigoProteção Civil alerta para a continuação do mau tempo até terça-feira

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui