Publicidade

Com uma dotação financeira global de 9,25M€, estas linhas de financiamento visam incentivar o dinamismo e a renovação do tecido artístico nacional.

A Direção-Geral das Artes vai abrir, no dia 29 de dezembro (quinta-feira), três concursos de apoio a projetos artísticos (nos domínios da criação, da programação e da internacionalização) e um procedimento simplificado, igualmente para apoio a projetos. Com uma dotação financeira global de 9,25M€, estas linhas de financiamento visam incentivar o dinamismo e a renovação do tecido artístico nacional.
 
Podem candidatar-se pessoas coletivas de direito privado e pessoas singulares (com sede fiscal/domicílio em Portugal), que aqui exerçam a título predominante atividades profissionais nas áreas das artes visuais (arquitetura, artes plásticas, design, fotografia e novos media), das artes performativas (circo, dança, música, ópera e teatro), das artes de rua e de cruzamento disciplinar. Podem, ainda, candidatar-se grupos informais, desde que nomeiem como seu representante uma pessoa singular ou coletiva com domicílio ou sede fiscal em Portugal.
 
O concurso de apoio a projetos no domínio da criação, que irá estar aberto até 6 de fevereiro, conta com uma dotação financeira de 1,25 M€ para as artes visuais e de 4,0 M€ para as artes performativas, cruzamento disciplinar e artes de rua, destinando-se a apoiar, maioritariamente, a conceção, execução e apresentação pública de obras, residências artísticas e interpretação (na área da música). O concurso no domínio da programação, aberto até 3 de fevereiro, conta com uma dotação de 2,5 M€ e destina-se maioritariamente ao apoio de acolhimentos, coproduções e residências artísticas. Ambos os concursos ― criação e programação ― disponibilizam 5 patamares financeiros (entre os 15 e os 55 mil euros) e irão atribuir, aos projetos apoiados, o montante correspondente ao patamar solicitado. A execução dos projetos (até ao limite de 18 meses) deverá decorrer entre 1 de junho de 2023 e 30 de novembro de 2024.
 
O concurso no domínio da internacionalização destina-se a apoiar, maioritariamente, o desenvolvimento e circulação internacional de obras e projetos, contemplando, também, ações de intercâmbio, integração em redes internacionais e o acolhimento de promotores em contexto de programação no estrangeiro. Neste concurso, o montante disponível de 0,9 M€ será distribuído até ao seu limite, a partir da candidatura mais pontuada. Aos projetos apoiados, será atribuído o montante correspondente ao solicitado, até ao limite de 20.000 euros. O prazo para apresentação de candidaturas termina no dia 2 de fevereiro, devendo os projetos ser executados até ao limite de 18 meses, no período compreendido entre 1 de maio de 2023 e 30 de outubro de 2024.
 
O procedimento simplificado, que conta com uma dotação financeira de 600.000€, destina-se a apoiar projetos nos domínios da criação, programação, investigação, formação, edição, circulação nacional e ações estratégicas de mediação. Nesta linha de financiamento, o montante a atribuir por candidatura é igual ao montante solicitado (mínimo de 500€ e máximo de 5.000€), sendo as candidaturas ordenadas de forma decrescente, a partir da mais pontuada. O prazo de apresentação das candidaturas termina no dia 2 de fevereiro, devendo os projetos ser executados até ao limite de 18 meses, no período compreendido entre 1 de junho de 2023 e 30 de novembro de 2024.
 
Salienta-se, nestas linhas de financiamento, a introdução de objetivos estratégicos que estimulam a criação e programação de projetos artísticos que promovam a renovação do tecido artístico (através da integração na equipa de elementos com idade igual ou inferior a 25 anos), que promovam a igualdade de género e o combate à discriminação racial. No concurso de apoio à internacionalização os objetivos estratégicos incluem a dinamização da internacionalização das artes e da cultura portuguesa em Espanha ou nos países da CPLP (que encontram na língua portuguesa e no 25 de Abril, cujos 50 anos se comemoram, um marco comum de transformação social e política, em linha com as opções estratégicas da política externa portuguesa).
 
Destaca-se, ainda, o aumento da dotação financeira global para o apoio a projetos, verificando-se um aumento de 7,48 M€ para 9,25 M€ (mais 1,77 M€ do que em 2021), a par do reforço do valor de cada patamar, ascendendo, agora, o patamar de valor mais elevado a 55.000 € (em 2021, era de 50.000 €).
 
De referir, também, as principais características destas linhas de financiamento, direcionadas a uma atividade ou a um projeto particulares, de ocorrência pontual ou intermitente, bem como a um conjunto de atividades até ao limite de execução de 18 meses, que contemplem o conjunto das ações necessárias à sua concretização.
 
Consulte em www.dgartes.gov.pt/pt/noticia/5956 os Avisos de Abertura (extratos) publicados hoje em DR
Publicidade

Artigo anteriorLinda de Suza morre aos 74 anos
Próximo artigoLesados da campanha Pinheiro Bombeiro vão ser reembolsados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui