Publicidade

O festival gastronómico vai ter lugar nos dias 13, 14 e 15 de Janeiro, em pleno coração da cidade da Mealhada, e “visa promover e dar a conhecer a qualidade dos produtos endógenos” da região, além de celebrar “as cores e os sabores do Outono e do Inverno”.

 

Publicidade

A Mealhada foi o concelho escolhido para acolher um festival gastronómico que, ao longo de três dias, pretende valorizar os produtos diferenciadores dos concelhos que compõem a Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra, bem como estimular a sua venda.

“O Winter Food Fest vai ser um momento de festa, de alegria, de convívio e, sobretudo, de promoção da qualidade dos produtos endógenos”, anunciou o presidente da Comunidade Intermunicipal (CIM) da Região de Coimbra, Emílio Torrão, em conferência de imprensa.

O evento vai ter lugar nos dias 13, 14 e 15 de Janeiro, em pleno coração da cidade da Mealhada, e “visa promover e dar a conhecer a qualidade dos produtos endógenos” da região, além de celebrar “as cores e os sabores do Outono e do Inverno”.

Na rua Doutor José Cerveira Lebre, uma tenda acolherá as bancas de produtos de cada um dos 19 municípios, que os visitantes poderão provar e comprar. Já no Largo do Tribunal, ficará outra tenda, com palco, onde serão realizadas as sessões de showcooking, de animação cultural e espectáculos musicais.

“Quem não gostar de leitão [o prato mais icónico da Mealhada], poderá comer arroz de lampreia, por exemplo. Somos uma região muito rica em termos gastronómicos”, sublinha o autarca da Mealhada, António Jorge Franco, lembrando que a iniciativa também acaba por levar “vida” ao centro histórico da cidade, impulsionando as vendas do comércio local, além de atrair pessoas à região. “O nome do evento está escrito em inglês precisamente para atrair turistas estrangeiros”, sublinha, por sua vez, Emílio Torrão.

Para o presidente da CIM Região de Coimbra, o evento pretende ainda combater a sazonalidade dos eventos gastronómicos. “Todas as câmaras municipais vão tendo os seus eventos gastronómicos e a CIM tem a obrigação de congregar todos num único propósito, que é sentar todos à mesma mesa: a mesa da Região de Coimbra, uma mesa”.

No entender de Emílio Torrão, a gastronomia é “um factor agregador, para a unir, ainda mais, numa verdadeira região metropolitana de Coimbra”. “Casamos a gastronomia com a tradição, com a identidade de cada lugar, com a identidade da região. E hoje, cada vez mais, temos uma identidade própria”, acrescenta.

“Este festival de gastronomia de Inverno tem a particularidade de, pela primeira vez, juntar 19 municípios, com uma mostra de cada um dos municípios, escolhida por cada um dos municípios e que, estrategicamente, cada um de nós, enquanto presidentes de câmara, vai tentar promover.”

O evento encerra as iniciativas da distinção “Região Europeia de Gastronomia 2021-2022”. Integram a CIM da Região de Coimbra os municípios de Arganil, Cantanhede, Coimbra, Condeixa-a-Nova, Figueira da Foz, Góis, Lousã, Mira, Miranda do Corvo, Montemor-o-Velho, Oliveira do Hospital, Pampilhosa da Serra, Penacova, Penela, Soure, Tábua e Vila Nova de Poiares, no distrito de Coimbra, Mealhada (Aveiro) e Mortágua (Viseu).

Publicidade

Artigo anteriorIsenção de IMT na compra de casa destinada à habitação sobe para 97.064 euros
Próximo artigoPenacova abre amanhã o “Balcão da Inclusão”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui