Publicidade

Maria Helena Marques

Desta vez o meu olhar fixou-se por aqui perto.

Há bem pouco tempo tive ocasião de revisitar o espaço na zona do Mirante Emídio da Silva espaço esse que contorna o cimo do Monte onde ele está instalado e que sustenta além dele mais alguns edifícios estão localizados num local de excecional beleza paisagística e já todos tiveram vida. São eles o ex-Preventório/ex-Hotel, o ex-Hospital da Misericórdia e a capela da Senhora da Guia.

Tudo se apresenta muito estranho e estranha é a razão de tudo estar sem ocupação há tanto tempo, o que nos faz questionar:

Que “praga” é que ali caíu? Tudo morreu de vez? Não há quem ressuscite aquela zona? Que desperdício num lugar de eleição que oferece das mais belas paisagens e que poderia e deveria oferecer serviços que beneficiariam tanto os Penacovenses como os “aristas”!

Nessa minha caminhada, feita por ocasião de ” Street food”, fixei-me especialmente no nome da Capela “Senhora da Guia”.

Fiquei com a curiosidade de saber porque tinha sido ali construída e dedicada à Senhora da Guia.

Como muitas vezes faço, socorri-me dos antigos jornais do “Notícias de Penacova e encontrei uma resposta que tem bastante sentido. Foi no jornal nº 411 de 6 de Setembro de 1941

Passo a transcrever: «Crê-se que em Penacova e aldeias circunvizinhas, outrora dedicadas especialmente aos transportes pelo Rio Mondego, se combinaram para edificar no cimo do monte que domina grande extensão do percurso do mesmo rio uma capelinha dedicada a Nossa Senhora da Guia.

É que as passagens Entre-Penedos e Trás do Outeiro, eram como são hoje (nessa data) bastante perigosas e, os barqueiros de então, compreendendo a limitada força do seu braço, imploravam e confiavam-se, nas dificuldades à proteção do Céu que é ainda a única e verdadeira tábua de salvação nas insuperáveis dificuldades.

As atividades de Penacova e povos vizinhos modificaram-se. O tráfego do rio reduziu-se.

Então surgindo outras e novas dificuldades, Nossa Senhora da Guia ,que tantos favores dispensou aos seus devotos, foi escolhida para Padroeira da Santa Casa da Misericórdia da Vila.»

Quem pode salvá-la do estado em que se encontra???

Toda aquela zona clama por justiça! Que desperdício!!!

Que vergonha!!!

Maria Helena Marques

Publicidade

Artigo anteriorMunicípios querem receber 5% do imposto petrolífero para manutenção de estradas
Próximo artigoEcos de Vozes Distantes (XXVI) : 1 de Outubro de 1923 – O último discurso

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui